jusbrasil.com.br
17 de Setembro de 2019

Você já pensou nos cuidados que deve tomar em grupos de WhatsApp?

Posocco Advogados Associados, Advogado
há 10 meses


Que os grupos de WhatsApp vieram para ficar, todos já sabem. Na terça-feira (14 de agosto), entretanto, um homem de Curitiba (PR) foi condenado a pagar R$ 40 mil de indenização a colegas de trabalho por ter exposto publicamente uma conversa privada no aplicativo. Segundo Fabrício Possoco, advogado especialista em direito digital, esse não é o único tipo de caso que está sendo levado aos tribunais por conta de comportamentos nesse tipo de grupo.

“A gente tem observado muitos casos de injúria, calúnia e difamação nas redes. E não é só a pessoa que pratica esse ato que acaba respondendo pelo crime”, explica o advogado. Segundo ele, os administradores dos grupos também estão sendo levados à Justiça caso não coíbam esse tipo de atitude.

Para o também advogado especialista em direito digital Felipe Barreto Veiga, entretanto, o entendimento tem ressalvas. “Do meu ponto de vista, a partir do momento que a pessoa não é comunicado daquela responsabilidade, ou seja, não tenha sido avisado para retirar aquela pessoa, o administrador não pode ser responsabilizado.” Ele acredita que “cada grupo segue suas próprias linhas de moral e bons costumes, e que por isso cada caso deve ser avaliado de forma distinta”.

Jonathan Rocha e Daniel Pereira são administradores dos grupos Paulista FC e Airsoft Jundiaí, específicos sobre os temas no WhatsApp. Ambos afirmam que às vezes precisam controlar o que os integrantes publicam, mas até agora não tiveram questões tão sérias a resolver. O que acontece eventualmente é a publicação de mensagens políticas, correntes ou notícias falsas. “O que fazemos é conversar com a pessoa e, em alguns casos, tiramos ela do grupo por dois dias”, diz Jonathan.

Daniel também diz que se irrita com esse comportamento e conversa com os integrantes para que o assunto principal do grupo não seja perdido. “Alguns ficam bravos, jogam até indiretas, mas quando chamamos no particular pedem desculpas”, pondera.

Esta reportagem foi escrita por Gustavo Amorim para o Jornal de Jundiaí

11 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Saudade do tempo em que a gente tinha tranquilidade para brincar com as pessoas. continuar lendo

Não conheço ninguém de mais de cincoenta anos que precise acompanhamento psiquiátrico, tenha pesadelos das surras tomadas, latrofobia dos joelhos raspados ou dos braços quebrados. Hoje só se utiliza dos dedos para conversar (?), discutir, brigar, brincar e etc.. Não há mais necessidade do resto do corpo, basta os olhos e os dedos. Campinho de futebol, bolinha de gude, pião, pipa ou papagaio, carrinho de rolimã, escorregador, balanço, bicicleta, futebol de botão, jogos de tabuleiro, e por ai vai, são coisas que estão desaparecendo até nas classes mais pobres do Brasil, substituídas por essa imbecilidade, eu incluso, de redes sociais. Ao acordarmos iremos perceber que a vida passou e não deixou lembranças. continuar lendo

Concordo Jorge Ribeiro! Até para dar os parabéns pelo aniversário de um familiar, o sujeito é incapaz de fazer uma ligação ou falar pessoalmente com o aniversariante. Na marioria da vezes se limita a dar um frio "Parabéns". Apesar dos avanços inegáveis da informática e da velocidade com que as informações são transmitidas, isso em nada substitui o contato humano, o diálogo presencial humano! Da mesma forma vivemos uma geração de "traumatizados digitais", onde não raras vezes vemos notícia que o indivíduo se suicidou por ter fotos íntimas divulgadas nas redes sociais! E aí nos perguntamos: Para que cargas dágua o sujeito resolve tirar ou permitir que tirem fotos íntimas...?´Realmente difícil... continuar lendo

Brincadeira saudável tudo bem. O problema é que muitos não tem limites e acabam ofendendo as pessoas. continuar lendo

Tb tenho Pedro. Saudades do tempo q tínhamos liberdade de expressão, liberdade para não gostar de alguém e falar na cara da pessoa q não gostávamos dela e pq não gostávamos dela. continuar lendo

já estou usando um nokia blu antigo desde que querem me punir com 2 dias de prisão em ficha depois de uma discussão abuso continuar lendo

Quais são os cuidados? texto muito confuso...
Digo que os cuidados que devemos ter como seres humanos são: zelar pela moral e dignidade, respeitando isso ninguém vai ser processado por calunia e difamação.
Agora se você gosta de expor as pessoas, praticar atos difamatórios, provavelmente vai precisar de um advogado. continuar lendo

Sim, também penso que faltou a indicação de cuidados que devem ser tomados para não se correr o risco de ir a justiça indevidamente, mas pelo que consegui entender é que em cada grupo que você entra tem um padrão de educação implícito, por exemplo, em um grupo formado pelos colegas de classe de uma faculdade no qual se debatem apenas assuntos inerentes ao curso não se deve ter conversas que normalmente se teria em um grupo em que participam apenas alguns amigos mais íntimos que costumam sair juntos, ou seja, principalmente se deve ter o bom senso em saber o que está mandando em cada grupo. Assim, caso algum assunto apropriado para seu grupo de amizades foi enviado ao da faculdade, deve-se fazer algo para que não vire um transtorno maior. continuar lendo

Eu acho é que tem muita leis e leis que não prestam no Brasil...e acabam atrapalhando tudo..antigamente não tinha tantas leis e a vida era mil vezes melhor ..menos pessoas..menos delegados menos juízes..menos policiais multando nas ruas..hoje em vez de melhorar PIOROU MUITO..Agora dizem estudiosos no assunto que os TEMPOS estão para ACABAR ..e ai morreria 3/4 da humanidade ..e tudo voltaria ao normal..é acredito que vá acontecer ..e dizem que é para breve..daqui meses ou 1 ano ...ENTÃO QUEM ESTIVER FAZENDO COISAS ERRADAS QUE SE CUIDEM.. continuar lendo

...E quem estiver escrevendo frases erradas que se cuide também, embora meia palavra para o bom entendedor baste. continuar lendo